sábado, 25 de julho de 2009

25/07/2009 - Dia Fora do Tempo

Durante sua permanência no planeta Terra os Maias cósmicos (seres interdimensionais) nos ensinaram os segredos do tempo galáctico, cientes dos ciclos lineares limitadores a que todos nós seres humanos fomos submetidos. Sabiam que tínhamos perdido a habilidade natural de perceber os ciclos de Luz Cósmica ao longo de nossa existência, e que esta forma linear do tempo atual é controladora e esconde os verdadeiros aspectos multidimensionais do tempo.
A contagem do tempo Maia se baseia em 13 ciclos lunares de 28 dias por ano solar, perfazendo 364 dias, mais um chamado de ‘Fora do Tempo’...
Os Maia consideram este dia como uma grande oportunidade de reciclar, recomeçar, recarregar as energias, liberar o que já não é mais preciso, agradecer por tudo que foi recebido no período anterior em todos os aspectos. Agradecendo inclusiv
e mesmo os momentos aparentemente ruins ou dramáticos, pois terão sido importantes aspectos de nosso aprendizado e evolução como seres humanos cuja essência é espiritual.
Nesse dia que manifesta uma maior conexão com a Essência Geradora, os antigos Maias reservavam muito tempo para orar, meditar e receber a orientação interior quanto aos próximos passos a serem dados no Caminho em direção ao Pai.
No dia 26 de Julho recomeça um novo ciclo com o nascimento astronômico de Sirius, que se eleva no horizonte junto com o Sol, trazendo uma energia de limpeza e purificação interior, trabalhando sutilmente nossos corpos sutis, principalmente o emocional.
O novo ciclo será regido pela Lua (Lua Planetária Vermelha) estimulando a necessidade de limpar casa, relacionamentos, pensamentos, medos, culpas, tristezas, magoas; enfim, largando de vez ‘aquela mala sem alça’.

Atividade em Porto Alegre

Sábado, 25/07/2009, das 9 às 17 horas no Jardim Botânico. Rua Dr. Salvador França 1427.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Documentário do Mês - Flow: For Love of Water - 2008

O motivo das próximas guerras no Admirável Mundo Novo.


FLOW: For Love Of Water é um documentário de 2008 dirigido por Irena Salina produzido por Steven Starr e co-produzido por Gill Holland e Yvette Tomlinson. O filme apresenta entrevistas com os ativistas comunitários e defensores da água como bem público Maude Barlow e Peter Gleick e os cientistas Ashok Gadgil, Rajendra Singh e Vandana Shiva. O filme ganhou o Prêmio do Grande Júri no Festival Internacional do Filme de Mumbai.

No premiado documentário investigativo de Irena Salina especialistas descrevem o mais importante problema político e ambiental do século 21 - A Crise Mundial da Água.

O filme centra-se nas grandes empresas de privatização da infra-estrutura da água que priorizam os lucros sobre a disponibilidade de água potável para as pessoas e o ambiente. Grandes corporações, como Nestlé, Coca-Cola, Suez (empresa) e o Fundo Monetário Internacional (FMI), são retratadas no filme.

Salina monta um case contra a crescente privatização do fornecimento de água doce e a escassez de sua oferta com um firme enfoque na política, na poluição, nos direitos humanos e no surgimento de um cartel mundial da água.

Entrevistas com cientistas e ativistas desvendam a crise, tanto em nível global como humano, e o filme apresenta muitos dos responsáveis, governos e corporações, por trás das privatizações da água, enquanto perguntam em súplica: "Como pode alguém ser dono da água?"

Além da identificação do problema, o documentário também mostra pessoas e instituições que oferecem soluções práticas para a crise da água e que desenvolvem novas tecnologias e, com isso, virando o jogo... Será?

A Teoria de Gaia, do James Lovelock, acredita que o tempo de parar o caos da babilônia, conscientizar os atores que destroem e recuperar o organismo vivo Terra já esgotou. Vale o debate.

Documentário em Inglês

terça-feira, 21 de julho de 2009

Entrevista Top 5 - Inch Concept

O Bem Morgado conversou com a designer e empreendedora Paula Gomes, criadora da marca Inch Concept. A Inch desenvolve bolsas e acessórios com design diferenciado utilizando matérias-primas incomuns, como borracha, tecido de Pet, rendas e lã. São misturas de cores, formas e texturas que estimulam sensações.

Uma idéia que une arte, empreendedorismo e atitude pra encarar o mercado.

Deixa a guria falar que ela entende.

Top 5 com Paula Gomes, da Inch Concept.

Bem Morgado - Como surgiu a idéia da Inch Concept?
Paula - A minha formação (designer e ex-estudante de arquitetura) possibilita a invenção de produtos nos mais variados segmentos. Isso, junto à minha curiosidade e inquietação, me impulsiona a estar sempre buscando novas ideias. Há alguns anos venho amadurecendo a vontade de criar uma grife nos segmentos de moda e decoração. Quando decidi que iria iniciar o projeto, procurei me focar no segmento que acredito estar mais escasso de peças com personalidade e inovação. Acabei me apaixonando pelo universo dos acessórios e ainda não deu tempo para iniciar na decoração.

BM - Existe uma interação entre os clientes e a Inch no processo de criação dos produtos?
Paula - No processo que antecede a criação, sim. Ouço todas sugestões e estou atenta às tendências. Porém, no processo criativo em si, o cliente não participa.

BM - A iniciativa de criação da marca Inch é diretamente ligada a uma atitude de empreendedorismo associado ao uso sustentável das matérias-primas, atitude que deixou de ser tendência pra ser realidade. Como a Inch trabalha a percepção dos clientes para essa realidade?
Paula - Os clientes da inch inicialmente se interessam pelo design dos produtos e a ousadia no uso dos materiais. No caso das peças associadas à sustentabilidade, como a bolsa PET, isso torna-se um diferencial que agrega valor ao produto na hora da compra.

BM - Cada vez mais o pensamento dos empreendedores se volta para a consciência de criar e estimular experiências nas pessoas. Como a Inch trabalha esse processo? Existe um feedback dos clientes?
Paula - Os produtos foram criados com o objetivo de aguçar sensações. Os clientes querem tocar no produto, sentir a textura. É um contato físico-cognitivo. É muito gratificante quando isso se torna realidade.

BM - A Inch daqui a 5 anos será...
Paula - Novas coleções, primeiramente masculina e corporativa. E, quem sabe, a entrada no segmento de vestuário e decoração.

inchconcept.blogspot.com

Cause + Affect

Recomendo à todos envolvidos, curiosos, profissionais, dinossauros canastrões, magnatas e da turma do DCE, estagiários com vale transporte e sanduíche de mortadela e ao sócio-diretor narcisita apaixonado pela própria voz que arrota idiotice, aos idealistas sem rumo e à ti que pensa em entrar na selva de Publicidade, Marketing, Design e Arquitetura ...
Diferenciação é criar, estimular e compartilhar experiências entre as pessoas. Não é tendência. É realidade.
Vale a dica, patrão.

Cause+Affect Design Studio from Cause and Affect.

http://www.causeandaffect.com/

sábado, 6 de junho de 2009

domingo, 31 de maio de 2009

Teatro - Improvável - Um espetáculo provavelmente bom.

Criado, produzido e encenado pela Cia. Barbixas de Humor, o espetáculo “Improvável” é um projeto de humor baseado em improvisações no qual a platéia tem fundamental importância para criação das cenas.
Além dos Barbixas, um ator convidado faz o papel de Mestre de Cerimônias (o famoso "MC"), aquecendo a platéia com uma pequena introdução antes do espetáculo interagindo com o público e explicando como funciona o espetáculo. Na hora das improvisações ele seleciona as sugestões da platéia e explica os mecanismos e as regras dos jogos de improvisação.
A cada apresentação serão chamados dois atores convidados para completar o elenco. E como tudo é baseado no improviso, o público sempre verá uma peça diferente e interativa. Já passaram pelo “Improvável” Rafinha Bastos, Oscar Filho, Marcela Leal, Marco Luque, Marianna Armellini, Cristiane Wersom, Marco Gonçalves, Marcelo Tas e Márcio Ballas.

Sem dúvida, uma das melhores manifestações de arte e improviso do teatro nacional. 


quinta-feira, 28 de maio de 2009

Salmonella Dub - Heal Me - 2007

Estilo: Dub / Psychedelic
Download Torrent:

Tim Davison - Love You Bye - 2008

Estilo: Minimal / Electro
Download Dreamule:

Hammock - Raising your voice... Trying to stop an echo - 2006


Estilo: Ambient / Instrumental
Download Dreamule: 

Receita criação da casa - Hambúrguer à lenha do Morgado com batatas assadas em sal de limão e alecrim.


2 porções

450 gramas de carne moída (acém)
um ovo
Um maço de rúcula
2 a 3 ramos de alecrim
mesma quantidade de tomilho fresco
mesma quantidade de coentro
1 colher de sopa de mostarda Dijon
Uma cebola roxa
Fatias de queijo cheddar
Sal e pimenta moída
Farinha de rosca
Azeite de oliva

Batatas
4 batatas brancas grandes
raspas de um limão 
2 ramos de alecrim
Sal

Salada 
1 tomate
Folhas de manjericão

2 pães cervejinha 

Modo de fazer:
1 - Abra a carne moída, facilita em uma bacia. Acrescente os ingredientes secos (menos a farina de rosca), misturando de forma homogênea. 
2 - Acrescente o ovo batido à massa, a colher de sopa de mostarda e uma colher de sopa de azeite de oliva. Misture. Vá acrescentando a farinha de rosca gradativamente, até atingir uma massa seco úmida. 
3 - Acerte o sal e a pimenta. Divida a massa em duas e molde os hambúrgueres.
4 - Coloque envolto de papel filme na geladeira por meia hora.
-
5 - Faça fogo normal de churrasco, e acrescente lenha. Asse os hambúrgueres até o ponto a seu gosto, colocando um pouco de azeite de oliva e sal ao final.

6 -Coloque os pães para esquentar na grelha antes de servir. 

7 - Corte a cebola em fatias médias, deixa em uma tigela com gelo e na geladeira por 1 hora. Seque-as.

8 - Finalize montando seu Hambúrguer Morgado dispondo o pão (previamente aquecido), a carne, queijo cheddar, cebolas, rúculas e azeite de oliva.

Batatas com sal de limão e alecrim

Sal: 
Pique o alecrim com as raspas de limão e moa tudo com um punhado de sal, até o sal ficar esverdeado. Você saberá o ponto pelo excelente aroma que vai sentir!

1 - Cortar as batatas em fatias médias e depois em tiras médias. Deixar com a casca.
2 - Cozinhar até ficarem al dente.
3 - Secar bem, regar com azeite de oliva, sal de limão e alecrim, e colocar em fogo de220º por 45 minutos (já checando, cada forno tem uma alma), até dourarem e ficarem sequinhas. Acerte o sal especial  novamente.

Finalização:
Sirva o hambúrguer com as batatas e tomate cortados em pétalas com folhas de manjericão.

Dica do Morgado Chef:
Pique pedaços de bacon bem pequeno e misture à massa do hambúrguer. A gordura do bacon vai dar mais saber à carne.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Arte no Morgado - i. Anton





O subconsciente induzido ou percebido?

Até onde a tua percepção é manipulada e dirigida pelo subconsciente?Qual a valência das percepções do teu subconsciente no produto final de um pensamento ou idéia formada sobre algo?


segunda-feira, 18 de maio de 2009

Bolinho de mandioquinha com Parma e mussarela de búfala

500 g de mandioquinha pré-cozida 
100 g de mussarela de búfala em pedaços pequenos
100 g de presunto cru em tirinhas
1 ovo 
1/2 xícara (chá) de farinha de trigo 
1 ramo de salsinha picado
1 ramo de alecrim picado; sal, pimenta-do-reino branca, farinha de rosca e óleo

Modo de fazer:
1- Amasse a mandioquinha pré-cozida com um garfo ou passe-a no espremedor. 
2 - Tempere com sal, pimenta-do-reino e junte as ervas picadas e o ovo; misture bem. 
3 - Acrescente a farinha de trigo aos poucos até que adquira uma consistência para formar boli-nhas com as mãos; se necessário, acrescente mais farinha. 
4 - Com as mãos untadas de óleo, forme bolas do tamanho de uma bolinha de pingue-pongue e recheie cada uma com tirinhas de presunto cru e um pedacinho de mussarela de búfala. 
5 - Passe cada bola na farinha de rosca e frite em bastante óleo em fogo médio; escorra em papel absorvente e sirva em seguida.

Dica do Morgado Chef:
Finalize com um bom azeite de oliva, pimenta Tabasco e investe em um vinho tinto superior. E uma boa companhia, por supuesto.

Fonte: Prazeres da Mesa

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Viagem a Darjeeling - 2007

O filme conta a história de três irmãos que tentam reestabelecer a relação um ano após da morte do pai e do abandono da mãe, em uma louca viagem pelo interior da Índia. Liderados pelo irmão mais velho, recém-acidentado e ditador, os três seguem de trem um rígido itinerário de viagem, cada um com seu fantasma particular. Uma comédia instigante, muito diferente do usual. 

Trailer:

segunda-feira, 11 de maio de 2009

O 1º stop-motion de Tim Burton - Vincent - 1982

Legendado em Português:

Livro do Mês - Quem sou eu? E, se sou, quantos sou? - Richard David Precht

Richard David Precht, nascido em 1964, encontrou um título que parece nonsense, mas também é inteligentemente refletivo: “Quem sou eu? E, se sou, quantos sou?”. É a frase noturna de um amigo de voz rouca, como revela o autor, que gosta de relatar anedotas e experiências interessantes.
Seja lirismo absurdo ou, antes, um título elaborado com muita intuição para um best-seller alemão, ele também pode encerrar uma desvantagem: pois os leitores potenciais, que ignoram por princípio tais títulos de auto-ajuda, podem não notar que um competente relato de questões filosóficas se esconde por trás da capa jovial. Seu atrativo parte principalmente de que as respostas de Descartes, Rousseau, Nietzsche, Sigmund Freud e tantos outros são analisadas à luz do padrão atual das ciências naturais, sobretudo da pesquisa cerebral, que Precht sempre volta a citar de forma fascinada. Para, em seguida, manter a sua preferência kantiana.
O livro é não apenas uma viagem acelerada no tempo, através da história da filosofia, mas também um esboço muito compreensível da pesquisa cerebral, de sua origem singular até os estudos recentes, ao lado de “impulsos interessantes” e reminiscências de certa arrogância, na qual “pesquisadores cerebrais acreditam que sua pesquisa iria deixar desempregada a filosofia e talvez também a psicologia”.
Para “Quem sou eu? E, se sou, quantos sou?”, Precht abriu uma picada tripla com as questões básicas kantianas: Que posso saber? Que devo fazer? Que posso esperar? No primeiro capítulo, ele explica as condições prévias do pensamento, usando ajudas elementares como a canção de John Lennon, “Lucy in the Sky with Diamonds”. Como tudo pode ter começado com os homens-animais de milhões de anos atrás, quando o tamanho do cérebro triplicou de repente. A precária diferenciação entre o homem e os animais é seu tema predileto, que ele aborda também na segunda parte, no clássico setor filosófico da ética: o homem é um animal com capacidade moral? Podemos comer animais? Como devemos tratar os primatas? A fim de instigar à reflexão, Precht constrói um cenário de horror, no qual o homem não é o ponto alto da Criação, mas também apenas um produto animal.
Vale a pena.

Editora: Ediouro
Preço médio: R$ 44,00

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Yagia - Will I dream during the process? - 2006

Publicar postagem
Estilo: Eletronic Ambient / Minimal
Download Dreamule:

Western Rebel Alliance - 2006

Estilo: PsyAmbient / Chillout / Dub
Download Dreamule:

Tus derechos, Mis derechos.


The Tarantino Mixtape


A essência para resultados.

Mais uma prova que a solução para negócios (e tudo mais) no século XXI não são produtos e serviços, são as pessoas e suas experiências.
Será que essas 13.500 pessoas um dia vão esquecer isso?

Case T- Mobile. 30/04/2009. Londres

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Cerveja Falke Triple Monasterium - 750ml

Cerveja Ale, estilo Ale de Abadia, refermentada na própria garrafa, que utiliza em sua receita maltes de cevada, trigo e aveia.
Apresenta aromas complexo, frutados, especialmente os cítricos, espuma consistente e cor alaranjada turva.
Graduação alcoólica 9% é envasada em garrafas de champagne reserva e arrolhada como os espumantes.
Para melhor apreciar as caracterísitcas desta cerveja, sugere-se que a garrafa esteja a 8ºC. 

Preço médio: R$ 39,00
Fonte: Costi Bebidas

terça-feira, 5 de maio de 2009

Studio Clio - Encontros com o Professor: Caco Barcellos

Atividade:

Mais que uma seqüência mecânica de perguntas e respostas, a boa entrevista é a arte da conversa intimista e reveladora, mas também fluida e descontraída. É nesse molde que se consagraram os Encontros com o Professor, momento privilegiado para a arte da entrevista na capital gaúcha. Nesta edição, Ruy Carlos Ostermann recebe o jornalista Caco Barcellos

A canja musical fica por conta do 
Delicatessen, grupo f
ormado pela cantora Ana Krüger e pelos músicos Carlos Badia (violão), Nico Bueno (baixo) e Mano Gomes (bateria).


Entrada gratuita. Os lugares são ocupados conforme a ordem de chegada. 

Quando: 7 de Maio / Quinta-feira

Local: Studio Clio - Instituto de Arte e Humanismo

- Porto Alegre - RS

Mais informações em:


segunda-feira, 4 de maio de 2009

Risotti di rizo nero, salmone e pinhão

1 porção

120 g de arroz negro
80 g de salmão em cubos
40 g de pinhão já cozido e laminado
30 g de queijo parmesão ralado
30 ml de vinho branco seco
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
1/2 colher (chá) de cebola picada ou ralada
1/2 colher (chá) de alho picado
1/2 colher (sopa) de azeite
Caldo de legumes e sal a gosto
Azeite de manjericão e alecrim para enfeitar


Como fazer:
1- Numa panela coloque o azeite, o alho e a cebola, refogue por 1 minuto em fogo médio. 
2- Em seguida, acrescente o arroz negro, o vinho branco, o caldo de legumes aquecido e o sal. 
3- Cozinhe por cerca de 15 minutos mexendo sempre. 
4- Coloque o salmão e deixe cozinhar por mais cinco minutos. 
5- Desligue o fogo, acrescente o parmesão e por ultimo a manteiga. 
6- Misture e sirva em seguida. 
7- Decore com azeite de manjericão e alecrim.
Fonte: Prazeres da Mesa

Atrévete. Cambia

sábado, 25 de abril de 2009

Bacalhau assado com batatas ao murro

2 porções

2 postas altas de lombo de bacalhau do Porto, de 250 g cada uma
150 g de farinha de rosca
3 colheres (sopa) de alho em pó ou em flocos secos
500 ml de leite integral
500 ml de azeite
4 batatas médias 
150 g de sal grosso

1- Limpe o bacalhau, removendo a pele e as espinhas deixe de molho na geladeira em uma vasilha coberta com filme plástico, por 48 horas, trocando a água 5 vezes ao dia. Algumas horas antes de preparar o prato, escorra a água, cubra com o leite e volte à geladeira (o leite confere maciez ao bacalhau). 
2- Misture a farinha de rosca e o alho em pó. Escorra o leite da posta, esprema suavemente e empane na farinha de rosca com alho. Acomode as postas em uma vasilha refratária alta e pequena, deixando um espaço de 2 cm entre as postas. 
3- Aqueça o azeite até o ponto de iniciar fritura e derrame-o todo sobre as postas. Em seguida, leve ao forno quente (200° C), por 20 minutos. 
4- Lave as batatas, seque-as, envolva-as em papel-alumínio com um punhado de sal grosso e leve para assar por 30 minutos em um forno preaquecido. 
5- Retire o papel-alumínio das batatas, escove para remover o sal grosso e cubra com um pano de pratos limpo. Dê um leve murro para romper a casca e regue com o azeite em que o bacalhau foi assado. 
6- Sirva as postas com as batatas e, se desejar, acompanhe com arroz branco ou arroz com brócolis. 

sexta-feira, 24 de abril de 2009

A Concepção - 2005

Não é um filme pra todos. Tá preparado?

O filme trata de um grupo de jovens de Brasília que, entendiados com suas vidas pequeno-burguesas, decidem se aventurar em experiências existenciais e produzir suas próprias histórias, ou seja, tornarem-se livres. Logo surge "X", assim conhecido porque ninguém sabe ou virá a conhecer seu nome.
Para levantar o tema de juventude perdida, objetivos vazios, hedonismo, filosofia hippie, entre outros; a película lança mão de seqüências frenéticas e imagens chocantes para capturar a atenção do espectador a cada minuto de projeção.
Em meio a intermináveis orgias, muita droga e rock´n roll, "X" introduz tais jovens na filosofia-existencial do "Movimento Concepcionista" (a referência ao Situacionismo é explícita e algo caricatural).
Nesse universo, as referências identitárias se esvaecem, tudo é possível e tenta-se a todo instante dissolver o Ego. Dar nascimento a uma nova identidade a "cada dia". As experiências concepcionistas buscam a dissolução de toda e qualquer referência, seja sexual, econômica, jurídica etc.
O ponto de partida é Maio/68 e o Situacionismo, com claras referências a Deleuze (para não deixar dúvidas, um personagem grita - enquanto perseguido pela polícia - "Somos todos máquinas !") e ao xamanismo, havendo inclusive uma alusão a Carlos Castañeda e ao "despertar" nos sonhos lúcidos, bem no final do filme, quando um dos personagens diz que "olhará para as mãos"... 
Trailer

Download Dreamule: